Search

SUS É ELEITO O MELHOR SERVIÇO PÚBLICO DA CAPITAL, SEGUNDO PESQUISA DATAFOLHA

O Sistema Único de Saúde, também conhecido como SUS, foi eleito pelos paulistanos, pelo segundo ano seguido, como o melhor serviço público da cidade de São Paulo. É o que mostra o resultado da pesquisa Datafolha publicado na revista “O Melhor de São Paulo, Categoria Serviços 2022”, distribuída gratuitamente pelo jornal Folha de S. Paulo. Segundo a pesquisa, o SUS, o Poupatempo e o Metrô ficaram tecnicamente empatados devido à margem de erro máxima do levantamento do Datafolha, de três pontos percentuais para mais ou para menos. O sistema de saúde público foi apontado como o melhor serviço da capital por 11% dos entrevistados. No entanto, somando as diversas menções diretas e indiretas ao SUS, o serviço atinge 22%. Além das citações explícitas ao SUS, os entrevistados votaram em Unidades Básicas de Saúde, Assistências Médicas Ambulatoriais e Unidades de Pronto Atendimento. Ainda mencionaram genericamente "postos de saúde", "saúde" e "hospital público", todos serviços da Secretaria Municipal da Saúde. A pesquisa Datafolha é feita anualmente desde 2015. Na primeira edição, o SUS teve 2% das menções. Já em 2020, as referências ao sistema público de saúde somavam 16% e, em 2021, 23%. Segundo a publicação, esse crescimento está associado aos anos de pandemia da Covid-19, quando o sistema se tornou mais conhecido com o atendimento e a vacinação, e pode ter havido um primeiro ou raro contato de parte das classes A e B com a saúde pública. Estas partes somaram maioria das entrevistadas pelo Datafolha. A presença do SUS se traduz em mais de 33 anos de atuação no país e, somente no ano de 2021, foram realizadas 23.832.407 consultas médicas de Atenção Básica, Especializada, Urgência e Emergência em estabelecimentos da Secretaria Municipal de Saúde. Ainda no ano passado, por meio das 470 Unidades Básicas de Saúde, a Secretaria Municipal de Saúde realizou mais de 52 mil ações comunitárias, orientando a população quanto aos cuidados para evitar o contágio e a transmissão do coronavírus, e encaminharam os pacientes que apresentavam sintomas para os serviços de saúde. Foram abordadas mais de 7,7 milhões de pessoas nessas ações educativas e distribuídas mais de 11 mil cestas básicas nas comunidades, em ações intersecretariais realizadas no intuito de diminuir os efeitos da pandemia. A cidade de São Paulo também conta com mais de 100% da população adulta e adolescente com esquema vacinal completo contra a Covid-19, e 58,8% de crianças de 5 a 11 anos com as duas doses da vacina. A matéria ainda destaca que mesmo antes da pandemia, depois de 2018, aumentava o número de citações da saúde pública e que os motivos podem ser a expansão do serviço, a avaliação melhor do atendimento ou também o fato de que, com a crise persistente, mais pessoas tenham sido levadas a deixar o serviço privado.